Sua maior e mais completa fonte sobre All Time Low no Brasil!
RockSound — “Você preferiria?” Com Jack Barakat.

Hoje (26), saiu a nova edição da revista RockSound e há uma brincadeira com o Jack. Confira a matéria traduzida logo abaixo:

Você preferiria? Apenas outro dia na vida do pop punker mais travesso de todos!

RS: Sentir coceira ou ficar suado para sempre?
JB: 
Eu sempre estou suado. Ser picado para sempre é meu maior medo – Eu enlouqueceria. Quando sou picado por um mosquito, eu fico muito bravo. Se eu tivesse mil picadas em meu corpo, eu me mataria.

RS: Ser capaz de falar todas as linguagens ou falar com os animais?
JB:Se comunicar com os animais seria insano. Descobrir o que as tartarugas pensam… Será que elas pensam e falam devagar mesmo? Se eu tentasse, eu seria capaz de falar todas as línguas. Mas você não pode fazer o mesmo com os animais, nem se tentasse. Seria um poder e seria super legal ser amigo dos animais.

RS: Viver no universo do Pokémon ou do Harry Potter?
JB: Viver no universo do Pokémon seria aterrorizante; Viver nas florestas sozinho com todo mundo querendo batalhar com você seria irritante. No universo do Harry você poderia ter sapos de chocolate e cerveja amanteigada. Não que eu gostaria de ser o Harry, mas seria legal ser um mágico em Londres.

RS: Ser um cachorro com pensamentos de humanos, ou um humano com pensamentos de cachorros?
JB: Um cachorro com pensamentos humanos. Acho que o contrário seria estranho demais e as pessoas se afastariam de mim; Eu iria me esfregar em tudo que anda, o que não é diferente do que eu já faço. Eu só gostaria de poder me esfregar sem julgamentos.

RS: Comer batatas e sentir dor, ou ser uma batata?
JB: Ser uma batata seria a pior coisa do mundo. Você já viu alguma batata bonita? Morar debaixo da terra a vida toda para alguém lhe por na água fervente depois? P*ta vida miserável.

RS: Ser um pirata ou um ninja?
JB: Ninja! Ser um pirata seria grosseiro e teria uma grande probabilidade de ser morto a qualquer dia. Ninguém mata ninjas. Eles vivem nas sombras; O que seria solitário, mas também legal. E eu seria bem rico, porque quando o pirata encontra ouro, ele deve entregar para o capitão, e o ninja não.

RS: Ser a pessoa mais rica do mundo ou a mais inteligente?
JB:Se eu fosse o mais inteligente, eu ficaria nervoso com os outros porque eles seriam burros demais para mim, e eu seria um c*zão. Mas você pode ser rico e ser muito legal.

RS: Ser uma garota, ou criança por um dia?
JB:Acho que não aguentaria ser uma garota. Eu não saberia o que fazer… Eu tive uma ótima infância então, seria muito bom voltar e não me preocupar com nada. 

RS: Estar sem roupa na Antártida, ou estar com roupa de frio no Deserto?
JB:Estar no frio seria miserável, mas no calor eu posso beber água e me sentir um pouco melhor. 

RS: Desistir de pizza ou de sexo?
JB: MEU DEUS! Pizza! Eu acho que não existe algo que eu não desistiria por sexo. Eu desistiria da água por sexo se pudesse… CALMA! Tem como sobreviver só com sexo, né? Os romanos faziam sexo e construíram o mundo. 

 

Para comprar a revista, é só clicar aqui.

 

All Time Low participa de pequeno documentário sobre a banda Green Day. Saiba mais:

O Spotify está fazendo um pequeno documentário sobre a banda Green Daytitulado como Green Day: The Early Years – e ela envolve várias releituras interpretadas por bandas do pop punk atual.

Nesta semana, foi divulgada a 4° parte do documentário, onde conta com a participação da banda All Time Low performando o cover que eles fizeram da música LongView – que foi lançada em 1994 pela banda no álbum Dookie.

Além do cover, eles estarão no documentário contando relatos sobre como o Green Day influenciou e influencia a banda.

Por enquanto, o conteúdo não está disponível para clientes do Spotify brasileiro.

aaaaaa

 

Kerrang: Por dentro do diário da turnê de Alex!

Com o fim da turnê europeia, a Kerrang Magazine divulgou alguns trechos do diário do Alex sobre os shows. Confira a matéria traduzida:
All Time Low passou o último mês em turnê pelo Reino Unido – e Alex Gaskarth fez um diário secreto em todas as paradas do caminho. Secreto, até agora, com o vocalista celebrando o fim da turnê dividindo seus pensamentos pessoais sobre todos os shows…

10 de março – Eventim Apollo, Londres

“Primeiro show oficial da turnê, e p*ta m*rda é um gigante! Sempre fazemos isso, pular direto para o fim. Por sorte, conseguimos fazer um show surpresa ontem à noite no Bush Hall para alguns membros do fã clube… Definitivamente nos ajudou a sacudir a poeira, e pudemos tocar músicas novas e testar se tudo fluiria!”

“Nós passamos boa parte do dia dirigindo por Londres e falando com pessoas sobre nosso novo álbum; Londres sempre nos deixa ocupados não importa o que, com muita imprensa agendada e, tipicamente, muitos amigos da indústria vindo nos falar, “E aí, como vão?” – nunca temos um segundo para diminuir o ritmo e processar tudo. A passagem de som foi legal. Fomos para o palco com tudo e a plateia representou, acho que nós também! Tudo ocorreu sem falhas, o que é tudo que você pode desejar para a noite de abertura! Foi nossa primeira vez tocando Dirty Laundry na frente de uma grande audiência como essa, e eu fiquei extasiado com a reação. A segunda estrofe chegou, e se entregou no recinto: ‘Vamos todos nos afundar por um tempo! Ah é, as pessoas sabem a letra! Está bem, vamos continuar o show.'”

“Nós finalizamos e fomos ao lado tomar uma cerveja com nossa família da Fueled By Ramem! Agora estou exausto! Dormir.”

11 de março – Great Hall, Cardiff

Wales, esse foi o chão em que minha mãe cresceu, então sempre tem algo especial em vir aqui. Meus avós moraram em Wrexham por toda minha infância, então fiquei muito tempo aqui por perto. Costumávamos andar pelas paredes do castelo quando eu era pequeno.”

“Acordei com dor de garganta hoje- nada anormal depois do primeiro dia; a voz é um músculo como qualquer outro, e sempre tem fadiga logo no começo da turnê. Preciso me assegurar em não falar muito hoje!”

“Brinquei um pouco com a ideia de mudar umas duas músicas na setlist, mas depois de uma pequena discussão com os meninos, decidimos manter a que tínhamos. Canals foi divertida de colocar no meio. O mesmo com Take Cover. São músicas que eu não esperava tocar muito ao vivo, mas senti que elas realmente funcionaram.”

“Tive uma conversa com o Jeff, nosso técnico de iluminação – essa coisa de ‘não falar’ não está funcionando – sobre fazermos uma vibe maior com as luzes nas músicas lentas. Ele sempre arrasa, então sei que podemos contar com isso hoje. Sentei perto da máquina de vapor por um tempo e aqueci por uma meia hora antes do show. Estou me sentindo bem! Não 100 por cento, mas estarei mais do que bem durante o show. Chá quente, um pouco de mel. Vamos lá!”

“Plateia foi radical essa noite – shows em campus de universidades tendem em ter um ar mais velho, então acredito que tínhamos uns fãs mais antigos na plateia. As músicas mais velhas fizeram sucesso! Six Feet Under The Stars se destacou. Dirty Loundry ainda está me deixando incrédulo!”

Jack e eu fomos DJ’s de uma afterparty essa noite, muita bebida em um bar suado e muitos hits do começo dos anos 2000 fecharam a noite. Felizmente amanhã é um dia de folga, então temos um segundo para nos recuperar: Zzzzzz…”

13 de março – Guildhall, Southampton

“Descansado e pronto para voltar. Eu e Jack ficamos no hotel depois do dia de folga enquanto os ônibus foram embora lá pelas 3 da manhã, então vamos pegar um trem para Southampton. Peguei um café na estação e acabei sentando do lado de um cachorro na viagem, então meu dia já começou bem. Passei um tempo pensando em merchandising para nossas turnês futuras durante a viagem de duas horas. Definitivamente amando as possibilidades com os novos logos.”

“Fomos recebidos na estação de Southampton por alguns fãs, pegamos um táxi e chegamos na casa de show para uma grande tarde de autógrafos do álbum. 400 assinaturas depois e tenho câimbras no pulso a tempo da mesa de autógrafos. Eu estou amando esses meets duplos nessa turnê. Nós autografamos para 200 pessoas por dia, e aí vamos para o nosso típico meet and greet de 30-50 pessoas. Está sendo um ótimo jeito de conhecer mais e mais pessoas, o que eu acho que sempre foi um aspecto importante dessa banda. Recebi uma tonelada de cartas e presentes legais também! Vocês são os melhores.”
“Hoje foi o primeiro show explosivo dessa turnê. Eu fiquei de cabeça quente em um momento, Tenho que beber um milhão de garrafas d’água no palco e fazer xixi para sempre durante o intervalo. A melhor performance de Therapy até agora. Sempre fico arrepiado quando a plateia domina. Vamos ter uns apertos de datas nos próximos shows agora, então estou enxugando o suor e dormindo cedo essa noite. Beijos!”

14 de março – Corn Exchange, Cambridge

Cambridge é uma das minhas cidades favoritas na Inglaterra. Eu costumava vir aqui com a minha mãe quando era pequeno. Sempre amei as construções daqui – sempre muito pitorescas. Nada mudou! Esse lugar continua lindo.”
“Eu amo o fato de estarmos atingindo cidades menores nessa turnê. Acho que só tocamos aqui uma vez, em 2012, então é legal finalmente voltar. Arrumei minhas coisas e juntei a equipe para passear pela cidade – uma das minhas memórias de turnês favoritas é se perder em lugares bonitos, então explorar sempre está no topo da lista de coisas para fazer quando chegamos em um novo lugar. Nós almoçamos nesse lugar incrível de pizzas ao estilo siciliano, e eu ainda estou pensando naquela borda.”
“De volta a casa de show para a passagem de show, começando a reaprender algumas das novas músicas do álbum que está por vir. É sempre um processo divertido pegar algo que está no álbum e transformá-lo para o set ao vivo. Mal posso esperar para lançar o resto do álbum para podermos tocar essas músicas nos palcos.”
“Outra plateia radical; Backseat Serenade foi meu destaque! Uma rápida entrevista pelo telefone com a Radio 1 – 11:30pm, bem normal para uma entrevista, não? Mas é para uma boa causa, LOLathon, então é claro que eu quero, deixando de lado problemas com o sinal do telefone. Fizemos dar certo!”
“Noite de filmes no ônibus com alguns dos caras! Estamos assistindo Os Vizinhos 2, que é incrivelmente recitável. Vinho e mini ovos de chocolate da Cadbury me colocando no rumo para dormir! Zack está bebendo o bom Bourbon.”
“Boa noite amigos! Vejo vocês em Leeds!”

15 de março – O2 Academy, Leeds

“Bom, olá Leeds! O camarim está congelante hoje. Por favor me ajudem. Eu estou com dois sweaters e uma jaqueta. Talvez eu esteja passando frio hoje.  Talvez eu esteja… Não, não… Não pode ser. Estou doente? Não! Lute, Alex!”
“Depois de toda a exploração de ontem, estou contente em só relaxar no espaço mais quente que eu consigo achar e bebo um monte de chá antes de começarmos com os negócios. Nós nos adiantamos e compramos um combo de amplificadores para a sala de ensaio, para usarmos com o kit de aquecimento do Rian, então nesse ponto temos um set completo e funcional para tocarmos no backstage. Muitas bandas fazem isso, mas pegamos a dica do A Day To Remember, depois de fazermos turnê com eles nos shows do Blink-182. Não só pareceu legal para eles poderem se aquecer juntos, mas eventualmente todos nós nos juntaríamos na sala para ter essas grandes sessões de música em grupo tocando nossas músicas favoritas! Vou atualizar vocês na colaboração de SWMRS/Waterparks/ATL quando acontecer!”
“Muitos presentes na sessão de autógrafos hoje. Tenho que dizer o quanto apreciamos os pequenos presentes e as cartas de vocês independente da onde vamos. Obrigado!”
“Palco pequeno hoje! Quando começamos o set, eu me afastei do microfone e quase tropecei na bateria do Rian. Essa turnê foi interessante porque os tamanhos dos palcos podem variar muito, então pode ser difícil de lembrar com quanto espaço você está trabalhando no palco. A plateia estava animadíssima! Durante Something’s Gotta Give, eu acho que quase perdi um dente quando uma bola de praia bateu no pedestal do microfone… Vida perigosa a minha, mas juro que meus reflexos são nível ninja nesse ponto.”

16 de março – O2 Academy, Birminghan

“Tivemos momentos divertidos no palco durante a passagem de som. Estamos à uma semana de lançar nossa segunda música nova – a música do nome do álbum, Last Young Renegade – passei por ela para refrescar nossa memória e aprimorarmos para apresentar ao vivo. Coincidentemente, acabamos de receber o primeiro corte do vídeo para a música, e deixa eu dizer que estou animado com a nova estética desse álbum. Estamos gravando tudo como se fosse seu próprio universo, então flui de maneira bem legal de vídeo para vídeo que faz tudo ser conectado. A boa notícia é que eu acho que soa ainda melhor ao vivo, o que é algo que sempre tentamos alcançar quando trazemos algo novo para o set. Nós continuaremos ensaiando isso por alguns dias, e aí tocaremos quando as pessoas já tiverem um tempo para aprender a letra!”
“O show foi insano. Um dos meus favoritos até agora. Essa cidade nunca desaponta, e essa locação é ótima. Consegui colocar as mãos em um console da Nintendo hoje, então agora me retirarei para o conforto do meu hotel para jogar Zelda durante a noite. Adeus, amigos do mundo real; Olá glorioso Hyrule Loot Crates. Amanhã temos o dia de folga com os garotos do State Champs que vão tocar, e Jack e eu vamos ser DJ’s na casa de show em que tocamos na noite anterior. Nós meio que os pressionamos na turnê inteira para eles se juntarem a nós nas festividades, para que então tivéssemos uma equipe sólida no palco conosco e fizemos o nosso melhor para que tocássemos as músicas que todos queriam ouvir. Coloquei um pouco de Prince também, então eu estava feliz.”
Liverpool é uma cidade bem musical, então eu estou com a expectativa alta para a plateia dessa noite. Tem um ótimo pub na esquina de onde vamos tocar, então eu e alguns dos garotos ficamos por lá antes do show. No caminho, encontramos um dos nossos antigos motoristas e sua família que estava vindo para o show. Realmente se cria uma família na estrada, então mesmo posteriormente amigos vem e vão na nossa vasta equipe, tem sempre uma conexão, e a vibe da família continua. Cervejas artesanais na mesa, locais! Tomei uma cerveja preta muito boa, que não lembro o nome, mas me acertou em cheio. Hora de voltar para o show.”
“Eu assisti uma boa parte do set do Waterparks e do SWMRS hoje. Esses caras estão arrasando – especialmente para bandas relativamente novas. Sempre me fazem pensar em maneiras de melhorar a jogada, mesmo quanto temos fazendo isso por um tempo.”
“Começamos a apresentação! Bons momentos o tempo inteiro. Jack fez pelo menos sete pulos pop-punk hoje. A estamina nesse garoto é impressionante. Rian sorriu bastante. Teve um momento bem legal quando uma bandeira de arco-íris chegou em cima do palco essa noite, junto com muitas bandeiras de outros países. Me fez lembrar o quão incrível e diversificada nosso público se tornou. Um abraço para os fãs da comunidade LGBTQ pelo mundo! Nós amamos vocês. Sempre se orgulhem de quem são.”

19 de março – Ulster Hall, Belfast

“Acordei cedo demais hoje para cruzar a balsa para a Irlanda. Eu estou até que ok com isso já que a balsa serve um café da manhã incrível, e eu preciso de pelo menos três copos de chá. Eu definitivamente tenho combatido um resfriado pelos últimos dias, mas negando totalmente o fato para que eu não me torne um poço de tristeza e doença. Ás vezes você só tem que aguentar firme. Não é tão sério, então ficarei bem!”
“Essa locação do show tem uma história bem incrível, Led Zeplin tocou Stairway To Heaven ao vivo pela primeira vez aqui. Toda vez em que piso nesse palco, eu paro um segundo para refletir sobre isso. Eu acho que a música deixa marcas de uma maneira bem dramática, ligando memórias e momentos no tempo e fazendo eles tangíveis e duradores; Eu gosto de pensar que talvez algum dia, será alguém, em algum lugar, parado em um palco, refletindo que All Time Low tocou uma música aqui pela primeira vez. Esse é o sonho!”
“Plateia cantou alto essa noite. Essa cidade ama cantar. Precisamos voltar aqui mais vezes! OBRIGADO, BELFAST!”

20 de março – Olympia Theatre, Dublin

“Acordar em Dublin, ainda posso sentir a ressaca coletiva de turistas enchendo a cidade depois do Dia de São Patrício. As ruas estão bem mais quietas agora e boas para uma caminhada. Eu admito que esse resfriado tirou o melhor de mim e eu estou recorrendo a doses de remédio para gripe (eu não gosto de tomar remédio!), pacotes de vitamina C, xarope, exercícios, e os banhos mais quentes e vaporizantes que consigo me submeter. Eu. Vou. Superar.”
“Alguns dos caras da equipe foram para a fábrica do Jameson and Guinness pela primeira vez, onde experimentaram do bom e do melhor. Claro que todos voltaram para a casa de show impressionados com as bebidas.”
“Está chegando a hora do meet and greet, e eu venho me convencendo que a alta taxa de ferro na Guinness conta como ‘vitaminas’ e vai me ajudar a melhorar. Remédio de turnê. Aqui vamos! Morro abaixo.”
“Esse teatro é absolutamente maravilhoso! Parece algo que saiu de dramas da era Vitoriana que meus pais assistiam na TV, com o deck e as cortinas de veludo vermelhas, piso de pedra polida até o teto de três camadas. Shows aqui são épicos porque todo mundo está empilhado tão não alto, mas ainda não tão longe do palco como normalmente, e você pode se enfiar pelos corpos sem ser perder a empolgação e a intimidade. Eu ainda acredito que posso pular do terceiro andar até a plateia na pista e sair ileso, mas meio que todo mundo para quem falei isso me disse para eu não pular… Então eu vou… por segurança, eu acho. *revirando os olhos*”
“Mais uma vez a Irlanda provou ter uns dos cantores mais altos. A noite de hoje me arrasou durante Missing You. Juro que às vezes sinto que eu nem preciso cantar.”

22 de março – O2 Academy, Bristol

“Nós voamos de Dublin ontem de manhã para um dia de folga em Bristol. Eu acho que eu consegui (em maior parte) me livrar da doença, deixando de lado os sintomas persistentes – o que são indiscutivelmente a pior parte de um resfriado. Nos divertimos explorando a cidade na maior parte do dia, e acabamos encontrando um bar incrível no final da noite. Celebramos um dia relaxante com uma rodada de Gim Bramble, que se você não sabe, é definitivamente o coquetel mais perigoso (delicioso) que há por aí. Encerrei a noite cedo e voltei para o hotel.”
“Dia de show em Bristol e eu estou sofrendo da perda de voz pós resfriado. Não sei bem o porque, mas sempre que fico doente eu sempre fico bem vocalmente até começar a melhorar. É nos dois dias de recuperação que a minha voz fica no seu ponto mais fraco. Eu geralmente tenho o hábito de falar bem menos e me aquecer bem mais quando isso acontece. Vou ficar bem! Eu sempre sinto que metade dos meus problemas quando estou em uma posição dessas são mentais, então se eu enlouqueço achando que algo vai dar errado, geralmente dá. Odeio parecer clichê, mas eu acho que muitos obstáculos da vida são uma batalha psicológica mais do que tudo. Pensando em descansar a voz, eu decidi caminhar pela cidade com alguns dos garotos. Tem algumas lojas de vinho boas pelo caminho, uma em uma construção extremamente velha e underground; com paredes de pedras e madeira expostas. Que vibe.”
“Também compramos algumas velas para os camarins, porque somos homens, e eventualmente tudo começa a ter cheiro de homens!”
“Hora  do show! Vamos lá! Aqueci por uns 45 minutos essa noite, o que é bastante para mim, e me assegurei em não forçar muito. Nunca vá à toda velocidade até precisar ir. Boom!”

23 de março – O2 Apollo, Manchester

“Ontem à noite foi ótimo. Consegui passar por tudo bem, apesar de uma rouquidão. Será um problema pelos próximos dias, mas nada assustador.”
“Hoje estamos em Manchester; eu tenho família aqui, e estou muito empolgado em ver minha tia e alguns de seus amigos. É sempre bom parar em lugares em que passei muito tempo quando era criança – especialmente quando envolve rever partes da família que não vejo o bastante.”
“Nós temos uma performance no Radio 1 Live Lounge chegando. Não posso falar que música escolhemos para fazer cover, mas posso dizer que começamos a fazer nosso arranjo para a nossa versão dela, e estou muito contente com como está ficando. Nesse ponto, estamos dobrando a passagem de som, ainda ensaiando Last Young Renegade, e esse cover também. Tem que sair natural quando fomos ao ar ao vivo.”
“Shows aqui em Manchester são sempre muito bons! Outra casa de show perfeitamente construída. Eu conseguia ver todos os rostos na plateia. Nós aperfeiçoamos um pouco o set, e agora é hora de passar um tempo com minha família antes de sermos DJ’s. Estou sentido que o show voltou a parecer automático, do lado da performance. Nós conseguimos fechar bem. Vejo vocês amanhã!”

24 de março – O2 Academy, Sheffield

“Não fiz muito do meu dia hoje, honestamente. Eu estava um pouco derrubado depois do set de DJ até as 2 da manhã, e tudo o que fiz foi achar um canto para me aconchegar e jogar vídeo-game.”
“Ser DJ tem sido uma atividade extracurricular divertida nessa turnê. Nós ficamos cada vez mais afim disso, e acho que foi uma outra boa maneira de se conectar com as pessoas que vem aos shows de um jeito diferente. Sem mencionar que me empolgo em fazer as pessoas dançarem algo que não é familiar para elas. Desculpa!”
“Hoje tivemos uma das maiores tardes de autógrafos da turnê, me fez lembrar do quão incrível essa cidade é. Eu nunca vi uma caixa tão cheia de cartas e presentes no final. Levei para o camarim e passei mais de uma hora olhando tudo. Obrigado gente!”
“Outro show agendado e já está virando uma rotina novamente. É uma contraposição interessante, pois de um lado você se sente empolgado que, de certas maneiras, os shows começam a se misturar um pouco. Mas, por outro lado quando eu paro para pensar sobre isso, são todos tão únicos e memoráveis de seus próprios jeitos. Hoje tiveram muitos bastões de luz no palco, e eu fiquei preocupado em um voar no meu olho. Seremos DJ’s de novo essa noite – vou tocar muito Artic Monkeys hoje. Boa Noite!”

25 de março – O2 Academy, Newcastle

“Eu tenho MUITA família vindo hoje. Fico sempre mais nervoso quando tenho uma certa quantidade de familiares na plateia. Não porque eles julgam ou algo do tipo, mas porque eu acho que coloco muita pressão sob mim mesmo em deixar todos orgulhosos. Acho que é um desafio positivo. Como eu disse em Manchester, eu não consigo ver boa parte da minha família o bastante, e te sido ótimo compartilhar um pouco do que conquistei com uma apresentação ao vivo assim.”
“Tinha uma energia insana na plateia essa noite. Eu juro que quanto mais para o norte nós vamos, mais radical a plateia fica (sem ofensas cidades do sul). O segundo em que pisamos no palco, a plateia se abriu e nunca mais se fechou, mesmo entre músicas e durante músicas lentas. Energia foi real.”
“Passei um tempo no backstage com minhas tias, primos e minha meia-irmã depois do show. Foi incrível ver todos eles. Tivemos que nos apressar para fazer nossa última noite como DJ’s da turnê. Essa vai ser louca, posso dizer só pelo show em si. Com sorte o outro DJ ainda não tocou Limp Bizkit’s Brake Stuff.”

27 de março – Corn Exchange, Edinburgh

“Possivelmente uma das cidades mais bonitas do Reino Unido! Tivemos o dia livre ontem e eu dormi na maior parte! Ás vezes sinto que meu corpo precisa de uma recarga completa. Acordei por volta das 2 da tarde e me forcei a levantar para poder explorar o quanto pudesse da velha cidade no resto do dia. Comi um hambúrguer vegetariano muito bom – eles são sempre 8 ou 80, mas esse arrasou!”
“Minha esposa viaja hoje para o show, então estou muito empolgado em vê-la. A vida na estrada pode ficar triste com a família ficando em casa, então é incrível que conseguimos nos encontrar quando eu estou fora fazendo shows. Eu espero grandeza essa noite.”
“Essa casa de show foi uma estranha, não vou mentir. Um espaço bem aberto com carpe, paredes brancas e um teto. Meio que me faz pensar que estamos em uma cantina de escola. A nossa performance no Live Lounge está se aproximando e o cover é sempre uma grande revelação, então estamos ensaiando a música secretamente nas passagens de som com os amplificadores desligados. Espero que não demos spoiler!”
“A plateia compensou a casa de show estranha! Pistas de carpê valem a pena! Voltamos para o hotel para pegarmos nossas coisas e partimos para Glasgow!”

28 de março – O2 Academy, Glasgow

“‘Aqui nós vamos, aqui nós vamos!’ Acho que acordei torcendo essa manhã. Curioso para ver qual das plateias escocesas é a mais alta. A plateia de hoje à noite será uma grande oponente da plateia de ontem, e essa casa de show é um pouco maior em certa escala e tem um visual melhor. Vamos ver o que acontecerá!”
“Peguei o trem de manhã e cheguei um pouco mais tarde que o comum, então estamos indo direto para a passagem de som. Só mais uma antes da performance da Radio 1 e o cover realmente tomou forma. Eu acho que eu posso dizer qual é agora, já que ninguém vai ler isso antes de acontecer, mas vamos tocar Green Light da Lorde. Está segando uma pegada bem legal em uma empolgante música de pop; meio que me trás uma vibe de Springsteen, da forma que arranjamos. “
“Pelo meet and greet já posso dizer que esse vai ser um dos shows mais energéticos da turnê. Muita empolgação. Estou com um pressentimento bom com esse show!”
“Nós entramos no palco e tudo foi com adrenalina. Eu acho que a empolgação do público passou para nós diretamente no segundo que aparecemos sob as luzes. Eu vou admitir, que sinto que esse show passou rapidamente. Nós estamos tocando por uma hora e meia nessa turnê, o que é um pouco menos do que fizemos na nossa última. Eu definitivamente sinto que estamos prontos para usar o set de duas horas novamente.”
“Dia livre amanhã, e aí um bem atarefado quando fizermos o Live Lounge, e corrermos para Norwich para chegar a tempo do show! Vejo vocês lá!”

30 de março – Nick Rayns LCR, Norwich

“O Live Lounge foi ótimo! Eu fiquei acordado até as 4 da manhã por nervosismo e empolgação, o que é uma droga pois sempre digo para mim mesmo ter uma boa noite de sono antes de algo assim. Nunca acontece como planejado, mas fora isso, chegamos lá e fizemos a coisa certa, e acho que tudo ocorreu bem sem nenhuma falha. Foi um cover bem divertido – eu estou quase querendo por no nosso set.
“Nos apressamos para ir para Norwich no ônibus da turnê, tomando umas cervejas em comemoração, antes de irmos diretamente para o meet and greet mais tarde e conseguir começar tudo a tempo. Hoje está parecendo um redemoinho.”
“Eu vou deixar esse curto porque as coisas estão acontecendo sem parar, mas vou dizer que a plateia de hoje foi surpreendentemente alta e radical. Pareceu um show de punk-rock. Eu tenho quase certeza que teve uma roda punk durante uma das músicas lentas. Obrigado Norwich, vejo vocês na próxima! Tenho que lembrar de vir aqui mais vezes!”

31 de março – O2 Academy Brixton, Londres

“Último show da turnê! Estou escrevendo isso no camarim, e tenho que entregar tudo antes do show de hoje, então estou finalizando sabendo que essa será uma ótima maneira de fechar os shows do Reino Unido. Nós vamos tocar Last Young Renegade pela primeira vez essa noite, e provavelmente tocar o cover de Green Light porque sim.”
“Acabei de tomar café da manhã, e estamos indo para as Casas do Parlamento para um rápido passeio. Sempre temos que fazer essas coisas de turistas quando estamos na cidade! Muito obrigado a todos por essa viagem no Reino Unido. Um abraço para o Waterparks e o SWMRS por se juntarem a nós! Nós nos divertimos muito, e esse foi o jeito mais insano de começar 2017. Vejo vocês na próxima.”

Confira os scans da revista em nossa galeria:

Matéria Original: Kerrang! Magazine | Tradução e Adaptação: All Time Low Mídia

Feliz Aniversário, Zack Merrick!

Hoje (21/04) nosso baixista favorito completa 29 anos! Zachary Steven Merrick nasceu em 21 de abril de 1988 na cidade de Baltimore em Maryland.
Zack entrou no All time Low um pouco antes de entrar no Ensino Médio, o último membro a entrar na banda,  ele se tornou baixista e a segunda voz da banda. Ele é conhecido por ser tímido, fofo e amar ketchup e academia!
Em 2015, Zack ganhou o prêmio de melhor baixista no Alternative Press Music Awards, fazendo todo mundo se derreter mais ainda de amores com seu discurso tímido e fofo! Vale a pena relembrar:


Nós do All Time Low Mídia desejamos um aniversário incrível para o Zack, e que venham muitos e muitos anos de ATL na vida dele. Que tal todos enchermos o Zack de amor e carinho no twitter hoje?

All Time Low apresenta ‘Dirty Laundry’ e cover de Lorde no Live Lounge da Radio 1.

Faltando algumas semanas para o tão aguardado lançamento do sétimo álbum da banda, o All Time Low esteve hoje (30) em Londres onde fez sua participação no Live Lounge da BBC Radio 1.

A banda apresentou seu novo single renomado ‘Dirty Laundry‘ e depois apresentou o cover da música ‘Green Light‘ da cantora Lorde. Assista:

 

 

Antes de entrarem ao vivo, eles atenderam vários fãs que estavam no local, veja as fotos:

Página 10 de 47« Primeira...89101112...203040...Última »